Pular para o conteúdo principal

Postagens

O problema do 4G

Nos últimos dias eu tive um probleminha com a Claro pela segunda vez esse ano. Usei os dados móveis na quarta, gastou R$ 0,99 e desliguei antes que desse meia noite, para não gastar saldo com a tarifa de internet de outro dia. Mas quando dá por volta de uma da manhã, o saldo é descontado, mesmo com os dados desligados.



Esqueci de ligar pra reclamar disso, aí passou a sexta e descontou de novo, chegou o sábado e descontou de novo. Finalmente eu liguei, devolveram meu saldo, e eu perguntei porque isso acontecia - porque como eu disse isso já aconteceu meses atrás. A atendente disse uma coisa muito intrigante: acontece o desconto mesmo com os dados móveis desligados por causa da tecnologia 4G. Para isso parar de acontecer, eu teria que mudar o chip para 3G.

E aí eu perguntei: "Mas e quando eu quiser usar a internet, não vou poder usar 4G?" Ela não soube responder. Eu fiquei pensando na incoerência de uma coisa dessa. Qual a vantagem de uma internet 4G se ela causa esses problem…
Postagens recentes

O diabo matou os dinossauros?

Eu peço, quase exijo, cuidado de quem for ler esse texto, que leve as coisas numa boa. Eu tô só brincando e desabafando.
Eu assisti o vídeo do Canal Nostalgia em que o Felipe Castanhari fala sobre a extinção dos dinossauros. Eu não consegui assistir o vídeo até o final porque eu amo os dinossauros, morro de pena ao pensar que foram extintos. Eu amo animais, loucamente. Prefiro eles do que a gente.

A teoria mais aceita atualmente sobre a extinção dos dinossauros, como todo mundo sabe, é a do meteoro gigante que se chocou contra a terra, mudou todo o clima por aqui e tal - eu não sei os termos. Aí eu lembrei que quando eu era mais nova e evangélica, ouvi dizer que algumas pessoas acreditavam que esse meteoro foi a queda de Lúcifer.
Pra quem é humano e não sabe, a crença é de que quando Lúcifer foi expulso do céu, ele caiu na terra, e tem gente que acredita que isso bate com a extinção dos dinossauros. Mas tem uma coisa que não faz sentido mano: imagina que você é Deus, e fez um planeta…

Por que fazer ilustrações?

Como já falei em vários outros textos, desde que conheci a ilustradora Nath Araújo, eu decidi me render a ilustração, ao desenho descomprometido com a realidade. Mas preciso que entendam porquê.
Outro dia, eu vi o desenho que um menino da minha cidade fez, em preto e branco, e parecia até uma foto. Parecia que a pessoa tinha pegado a foto e colocado um daqueles filtros pra parecer um desenho sabe? É realmente legal de se ver.
Mas é que eu sou uma pessoa muito criativa, eu gosto de deixar as coisas do meu jeitinho. Quando você faz um desenho realista, você tem que seguir exatamente a foto ou obedecer a realidade, sem espaço para sua criatividade e personalidade. Quando você olha o desenho a seguir, já sabe que fui eu que fiz, porque tem o meu traço, o meu jeito de desenhar:

Ou quando você olha um desenho desse artista aqui. É super simples, mas ele tem um traço reconhecível demais, você sabe que é dele saca? Não importa o desenho que ele faça.

Ou quando você vê o desenho de qualquer a…

A matemática na vida adulta

Quando eu tava na escola, até gostava de matemática, de álgebra especialmente. Mas odiava aquelas questões das Olimpíadas de Matemática ou do ENEM, que é uma coisa sem sentido, tipo, um menino virar uma moeda não sei quantas vezes, ou se você tem tantas bolas pretas e tantas brancas numa caixa, quantas bolas não sei o que mais... São umas questões tão nonsense, que como adolescente que era na época, eu achava engraçadas de tão ridículas que eram.
Mas um dia desse eu percebi que essas questões estranhas estão presentes na nossa vida sim, especialmente na vida adulta, quando você tem que fazer as compras no supermercado e é pobre, assim tem que saber fazer os cálculos para economizar ao máximo, afinal você é pobre! 
Exemplo prático: existe basicamente dois tipos de amaciantes que você pode comprar. Um concentrado, bem consistente, que você coloca uma gota e ele cheira na roupa por um mês, ou do normal, que você coloca o copinho todo e mais um pouco pra ter o mesmo efeito. Esse último, …

Pessoas vazias!

Outro dia eu caí no canal no YouTube de uma menina aí. Ela tinha mais de 600 mil inscritos, e menos que trinta vídeos, fiquei pensando quem era aquela menina pra ter um canal tão grande assim. E pra minha surpresa, ela não é ninguém, e não faz nada.

Nem ela sabe porque fez sucesso, mas foi meio que por causa do irmão dela que era um monte de coisas - ator, empresário, modelo. Mas mano, ela ganhou tantos seguidores assim pelo simples fato de ser bonita. E tem apenas 15 anos.

O vídeo que me fez nunca mais querer assistir nada dela foi o último que ela postou, falando algumas coisas sobre ela mesma - que original e educativo. Dentre tantas coisas que ela falou, duas me chamaram atenção foi: ela não gosta de ler, e odeia ir pra escola.Cara... A beleza da pessoa vai embora na hora. Mas ela é rica, né? Faz vlogs das viagens para Nova Yorque, Disney... e as pessoas dando like e visualização para uma pessoa que só tem um rosto bonito.

Você não é obrigado a amar ir a escola - até porque a esco…

Monday sucks!

Last text I wrote in English I asked someone that is native and studies the language to check out the grammar and stuff, but this time I didn't do because I wanted something for NOW. And this time I'm not going to give you the text in portuguese, so...

It's not everyday that I have ideias for texts to post here. As you can see, it's a text by day and it helps me sometimes... But somedays I'm too busy that I can't write anything, so I just look for an old text of mine and post here.

Dude, I'm gonna tell you: it is not easy. It's been hard to have ideias everyday. I follow people on instagram and watch some videos on youtube that could give me some inspiration, but we have so many empty people there. People that have nothing to offer but their face, and that's so sad. They just post a thousand pics of their face that I'm almost unfollowing them...

Be someone smart, please. You have more than only beauty to offer.

That's all.


Dedsy, a garota dos sonhos (Conto)

Você era inacreditável. Você construía um universo de história a partir de uma palavra escrita errada. Você criava teorias rapidamente, e elas me rendiam muitas risadas, afinal, o seu objetivo era colocar um sorriso no meu rosto, todos os dias.

Você sabia de tudo um pouco. Você parecia irreal. O seu conhecimento demais me deixava perplexo, e ainda mais apaixonado. Da última vez que escrevi assim, usando o Doutor Pensador, você disse que parecia um tanto forçado, porque minha marca ainda estava ali. É claro que estava.

Você me ensinou muitas coisas. Me explicou várias outras. Me fez entender que o mundo era gigante, muito maior do que eu jamais pensei. Você tinha olhos penetrantes e a melhor risada do mundo, o que fazia entrar em êxtase quando conseguia te fazer sorrir.

Eu era um cara comum, e você a garota dos meus sonhos. Era tão irreal, tão dos meus sonhos, que eu acordei. E você não estava lá. E nem tinha como se explicar. A realidade é muito diferente. Mas você me entende. Mas um …

Insistir ou desistir

É muito provável que você esteja em uma situação que em que as coisas estão difíceis, e você não sabe se desiste ou insiste nisso. E nem tem como dar uma dica porque regras gerais não abraçam casos particulares, mas vamos pensar como um todo:

Algumas coisas levam tempo, você precisa aceitar isso. Nem tudo floresce tão rapidamente. Então dependendo da situação que você está, precisa de um pouco de paciência sim, nem tudo é da noite pro dia. Mas pense bem: o que você está esperando precisa de muito ou pouco tempo?

Nem tudo precisa ser tão esforçoso. Além do tempo de espera, algumas coisas precisam do seu esforço de fazê-las persistir através das dificuldades. Mas também não significa que vai ser tão esforçoso assim. Se os sacrifícios estão sendo altos demais ou demasiadamente desgastantes, a ponto de abalar a sua vida, isso também não está certo.

A chave da vida é o equilíbrio. As coisas não precisam durar uma eternidade e nem levar seu sangue junto, mas se você desiste fácil demais, vo…

Kit da TAG de Setembro 2017

Com mais um mês que chega a sua metade, chega também o kit da TAG Experiências Literárias, de Setembro de 2017. No mês do meu aniversário, a TAG escolheu minha cor menos preferida, mas pelo menos o livro é de literatura brasileira. Vamos ao kit?

O kit completo é esse aqui - e a foto ficou maravilhosa, comentário a parte!

O mimo foi essa sacolinha, acho que pra remeter a ideia de encomenda, que é como começa a narrativa de "Quase Memória", de Carlos Heitor Cony, autor escolhido do mês. O protagonista recebe um pacote e daí começa a narrativa. Ainda estou no começo do livro, então não sei o motivo das mangas.

A revistinha informativa também segue a ideia de uma encomenda.

O marca-página é uma gracinha, sempre.

A box colecionável é a própria encomenda!

E enfim o livro, Quase Memória, porque o livro é uma quase biografia, mistura ficção e realidade, mas você não consegue saber qual é qual.
Com direito a umas palavrinhas do autor, afinal ele está vivo, com 91 anos.
Lindo, não é m…

Os irritantes snaps de todas as redes socias

Essa é uma postagem que eu fiz no Facebook, mas que resolvi trazer pra cá porque foi exatamente para isso que eu fiz o blog: pra postar textos e não textões no facebook. Vou expandir o texto e fazer modificações:

"Imagina se eu postasse a cada 5 minutos uma foto da minha cara em todas as redes sociais, meu Deus, até eu ia enjoar de mim. É ter muita auto estima - ou falta de noção. E pra quem vier com aquela de: "ah, a rede social é da pessoa, ela posta o que quiser". Sim, mas ela posta pra os outros verem, por isso que ela tem seguidores/amigos. E estes tem todo o direito de enjoar da cara da pessoa e desfazer amizade ou deixar de seguir.

Ainda assim, é muita falta de noção. É o que eu disse em um texto no blog (aqui), poste o que quiser, mas não espere as pessoas te aplaudirem, você é só mais um, inclusive recebendo apelidos: "o que só posta besteira", "o que posta fotos lindas" "o que só posta foto da própria cara" "o que posta foto …

Conto: O Demônio Familiar

Era uma casa pequena, poucos cômodos. Típica casa de quem mora só, não precisa de muito - e nem tem como ter mais que o suficiente. Os quartos quadrados e estreitos abrigavam somente a mobília necessária. No final do dia, uma única luz ficava acesa para economizar energia. Neste dia, era a luz do banheiro iluminando, tinindo, com um barulhinho que lâmpada faz que só se pode ouvir no mais absoluto silêncio.

Como estava só, a menina tomava seu banho de porta aberta. A água gelada percorria o corpo, refrescando seu cansaço. De olhos fechados, Sarah pensava sobre conspirações, depois sobre guerras, e depois sobre filmes de terror. Abria os olhos rapidamente sob a água e olhava ao redor, porque se imaginava a protagonista ingênua de uma dessas tramas.

Mas ela não sentia medo de que algo de fato fosse acontecer. O insólito e o desconhecido sobrenatural pertencem à ficção. Os problemas da vida real são outros - e muito piores. Contas, faculdade, emprego, filhos, corrupção. Um demônio não faz…

A televisão vai acabar?

Conheço alguns adolescentes, e estava em um almoço de domingo com eles. Ligamos a tv, e passeando pelos canais percebi que não estava passando nada de interessante para alguém de 14 anos que tem acesso a internet. O adolescente pegou seu celular e foi pra outro cômodo da casa, pra ver qualquer coisa da sua preferência no YouTube.

E nisso eu fiquei pensando, rapaz. Não tem motivos para uma pessoa nessa idade ligar a tv para ver algo das transmissoras uma vez que ele tem internet pra ver o que for do seu interesse, ao invés de saltar os canais das emissoras e desistir porque nada chama sua atenção.


Daí fiquei pensando na geração depois dessa. Eles vão assistir SBT? Redetv? Ou a globo? Crianças de 5 anos já ligam PlayStation sozinhas ou jogam alguma coisa no celular, ou pedem para alguém pesquisar o seu YouTuber favorito. Como a tv com sua programação parada, não interacional e sem opção de pausar, voltar, ver de novo, pode competir e se sustentar?

Não sei meus amigos, mas pra mim um dia…

Algumas verdades polêmicas

Outro dia fiz uma postagem no Facebook como há tempos não fazia: uma postagem que parece que é uma indireta, mas não é. Eu não faço isso. Quando eu posto algo do tipo é porque eu já analisei o mesmo comportamento em várias pessoas e cheguei nessa conclusão. Aí as pessoas se sentem atingidas, mas o que eu posto é somente o resultado de uma pesquisa.

Raciocine comigo: imagina que você está no seu feed de notícias do Facebook, olhando as postagens dos seus amigos e das páginas que você curte, certo? Aí você vê um post que um "amigo" seu, próximo ou não, fez, lamentando a morte de algum parente. Você reage com um "triste", ou até comenta. Seguindo as notícias do feed, você a notícia de algum prefeito que estava roubando a cidade. Você reage com um "grr". Depois, aparece um vídeo de um cachorro fofo e engraçado, então você fica na dúvida se reage com "amei" ou 'haha".

Lendo até aqui, provavelmente você já esqueceu a morte do parente do seu a…

A necessidade de "lacrar"

Um dia vi em uma página uma tirinha que era assim: uma menina olha um casal gay na rua e fala "como é que eu vou explicar para os meus filhos..." E o casal já ficava com aquela cara de desconforto. Então a menina depois dizia "...que vi um casal lindo desse e não tirei uma foto com eles?"

Agora me diz qual o sentido de você encontrar um casal de desconhecidos na rua e tirar foto com eles?! Isso não existe, mano.

Essa é uma coisa chata, de querer ser o desconstruído e perder a noção. As pessoas fazem coisas para depois postar no Facebook um textão e ganhar curtidas e aplausos, com os comentários de "lacrou!"

Outro exemplo claro disso foi a invenção de uma quarta menina super poderosa. Tipo, o que? Se você prestar atenção, ela é completamente diferente das outras. Por que fizeram tão diferente? É como o comentário de uma menina que eu li: "a necessidade de 'lacrar' acaba fazendo perder o sentido da história ou desrespeitar a narrativa do desenh…

O que fazer quando você não tem o que precisa

Vou fazer uma reflexão sobre um acontecimento banal.

Hoje a água acabou. Água que bebo. Compro o galão de água mineral, mas hoje acabou e era mais de 21h. Liguei pro local e o cara disse: "ah, só amanhã, porque agora tô no interior comendo frango assado". Sim, ele disse isso.
Mas eu tava com sede, não muita, e sabia que ia precisar de água mais tarde. Resolvi fazer o básico: ferver água da torneira. Esperar esfriar. Colocar no congelador. Esperar esfriar.


Nisso, pensei sobre o que temos que fazer quando não podemos ter o que precisamos na hora. Precisamos encontrar outro caminho, outra maneira! 
É o que falo para os meus alunos quando eles me perguntam como se diz alguma palavra em inglês. Se você não sabe e nem tem como conseguir essa palavra, procure uma frase curta que a explique, procure sinônimos que você saiba. Tipo, se eu não sei como é "chamativo" em inglês, eu posso construir uma frase como "algo/alguém que chama atenção", porque são palavras que…

Um jogo de enigma para meros mortais

O YouTuber Cellbit finalmente voltou com os vídeos de enigma, em que ele joga um joguinho chamado Do Not Believe His Lies (Não acredite nas mentiras dele). Aquele é um puta jogo diíficl, e não tinha pessoa melhor do que ele pra jogar. Se você quiser se sentir burro, assista os vídeos dele.
Felizmente tem um joguinho na Google Play parecido com esse, mas somente no sentido de que você tem que descobrir sozinho como avançar os níveis. A diferença é que absurdamente mais fácil, se comparado com o anterior, mas ainda assim não é tão fácil. O jogo se chama Yellow.

O jogo tem 50 níveis e você tem que descobrir sozinho, como eu já disse, como passar cada nível. Os primeiros são fáceis até, mas depois fica um pouco complicado. O objetivo de cada nível é fazer a tela ficar completamente amarela com os elementos que dispõe na tela. Toca um "uuuh" toda vez que você passa de nível
Sim, eu consegui zerar mas com as dicas que tem no canto da tela e também com a ajuda de uma folha de pape…

Palavras que vieram do inglês - Parte 2

Agora vamos falar das mudanças morfológicas, ou seja, mudanças no campo das classes gramaticais. Lembra disso? Verbo, adjetivo, substantivo.. pois é.
Substantivo que qualifica? Por exemplo, um termo utilizado como um adjetivo em português é na verdade um substantivo na língua de origem. A palavra fashion em inglês se define em substantivo (noun) e consequentemente verbo (porque todo substantivo em inglês pode virar um verbo! Socorro). Entretanto, fashion é usado como adjetivo no português brasileiro ao qualificar uma pessoa como alguém que está na moda, que se veste bem, que possui estilo: “fulana é uma menina muito fashion”. Ou seja, é um substantivo em inglês que a gente usa como adjetivo.

TOP - O adjetivo que amamos odiar
Outro “adjetivo” que não poderia ficar de fora é uma das expressões mais utilizadas em todo o Brasil nos últimos anos mas que também tem recebido duras críticas quanto ao seu uso, configurando até uma espécie de preconceito lingüístico. “Top”, apesar de também ser …

Palavras que vieram do inglês - Parte 1

Tive que fazer um artigo para a disciplina de Morfossintaxe de Língua Inglesa. Mas como já pode parecer, não foi nenhuma maravilha. Felizmente o artigo que escrevi me fez descobrir muitas coisas, especialmente por causa do tema que escolhi: "Anglicismo: Mudanças Morfológicas e Semânticas". Esse é um daqueles textos de conteúdo acadêmico, pois como eu já disse, uma universitária não pode deixar de fazer textos assim.
Algumas das descobertas que fiz Eu jamais pensaria que palavras como líder vieram do inglês. Tipo, leader é líder em inglês, é praticamente a mesma pronúncia porque veio exatamente assim, a gente só aportuguesou e a partir disso se originou liderança, liderar... Que louco! O mesmo aconteceu com beef que virou bife. A outra com história engraçada é o que a gente chama de x-burguer, que veio de cheeseburguer mas a gente não conseguiu falar o "cheese" e trocou por 'x' que é bem parecido. 
Alguns dos exemplos do meu artigo Primeiro, falei das mudanças s…

Renovada para a 22ª temporada!

E mais um ano se passa, mais uma temporada dessa série chamada vida se renova!
Além disso, faz exatamente quatro anos que mudei para São Luís para fazer a graduação em Letras - Inglês. São várias coisas a se lembrar.
Mas! Eu achei várias fotos minhas (graças ao Facebook) e sei as datas de cada uma. Separei por ano e montei todas, que começam desde 2009, quando eu tinha 14 anos, até agora em 2017, aos 22. Vejam o milagre:

Graças a Deus o tempo passa e nos salva. Ganhar dinheiro também ajuda. Aliás, somente em 5 dessas fotos eu estou usando uma roupa que a minha mãe não fez, haha! 
Desde 2015 eu faço selagem no cabelo e não largo nunca mais. Isso ajudou a fazer ele crescer. Desde a foto de 2014 até o presente momento eu engordei 10 kg. Pra glorificar de pé, igreja!
Durante toda a minha infância e adolescência eu era perturbada pelos comentários de quem queria que eu engordasse, que me alimentasse melhor, que eu tava muito magra, que isso, que aquilo. A maior felicidade da minha vida ag…

A diferença linguística que atrapalha

Em outro texto falei sobre um joguinho chamado 94%. Atualmente estou no nível 55 enfrentando dificuldades que me fazem pesquisar! Porque já me deparei com palavras que eu desconhecia, tipo escapulário. WTF é isso?

Mas o problema mesmo que percebi foi no nível que dizia "é doce". Coloquei "bombom" e o jogo enquadrou como chocolate. Demorei muito nessa fase que decidi pesquisar, e aí encontrei as palavras "chiclete" e "bala" que faltavam.

Foi nesse momento que senti que o jogo era mais difícil dependendo da região em que você mora. Onde eu cresci não chamamos de "chiclete" e sim de big big. "Bala" pra gente é pra colocar em arma de fogo!

Tenho sentido muita dificuldade nesse jogo no sentido de diferença Linguística. Tem palavras que eu nunca pensaria porque não é comum usar aqui. Mesmo que eu peça ajuda a quem está perto de mim, nós dois somos da mesma região, jamais pensaríamos as palavras que alguém do sul pensaria. Essa é a …

O que você precisa saber sobre a UFMA

Nesta semana começa o semestre 2017.2 na UFMA e também faz 4 anos que mudei pra São Luís para cursar Letras na UFMA. Lembro que não foi tão assustador porque eu já tinha feito um mês de Design no mesmo ano, então já conhecia um pouco a UFMA. Nessa primeira vez deu muito medo.


Para quem está indo pra UFMA agora, principalmente saindo do ensino médio, é provável que você sinta uma pontinha de medo, especialmente se nunca esteve lá antes. É um lugar enorme, muitos prédios, tudo muito parecido, mas agora vou dar algumas informações que eu gostaria de ter tido quando cheguei lá pela primeira vez. Espero que ajude!

1. Você pode usar gratuitamente o ônibus Campus para andar dentro da UFMA, e somente. Às vezes precisamos ir em algum prédio longe, então dá pra pegar o ônibus de graça.

2. São seis paradas/pontos de ônibus da UFMA, em frente a determinados  prédios na seguinte ordem: Ciências Biológicas, Biblioteca, RU (restaurante universitário), Centro de Ciências Exatas (CT para os íntimos), …

Para exercitar a mente

Alguém outro dia me mostrou um joguinho bem inteligente, pra fazer você pensar, mas em números. Era um jogo pra atingir um determinado número com cálculos lá. Como eu sou de humanas, procurei um outro jogo legalzinho que desse para as minhas habilidades linguísticas, e achei.

O nome do jogo é 94% (disponível no Google Play). Sim, isso mesmo. Você tem que acertar 94% das palavras relacionadas ao que o jogo de mostrar (palavra, frase ou imagem). Por exemplo, ele dá a palavra "bilhete" e você tem que ir digitando palavras de coisas que se relacionam a bilhete (cinema, teatro etc). E assim vai, desbloqueando os níveis.


Em cada nível você tem três objetivos (palavra, frase e imagem). Você vai jogando e entendendo como funciona. Eu só baixei porque achei o nome do jogo interessante e porque estava bem avaliado.


Estou no nível 32 e com muita luta, porque as cores vão mudando conforme a dificuldade. O nível agora é laranja. Quantos níveis são? 303. Vamos lá.

Como ganhar crédito no Google Play

Existem muitos sites de pesquisa que te recompensam, de alguma forma, por você responder pesquisas deles. Um por exemplo é o QualiBest. Você se cadastra e recebe algumas pesquisas com um certo intervalo de tempo. Ao responder, você ganha uns pontinhos para acumular e depois trocar por algum brinde no site.

Além disso, tem como ganhar crédito no Google Play de grátis (que você pode usar pra comprar aplicativos ou músicas no Play Music, por exemplo). O aplicativo se chama Google Opinion Rewards. Você responde as pesquisas, quando aparecem, e ganha alguns centavos. O único ponto negativo é que as pesquisas em geral aparecem mais quando você está com o GPS ligado (coisa que eu raramente deixo ligada no celular), então as pesquisas demoram para aparecer, além de que são somente alguns centavos, então não vá com muita esperança.


Esse é o meu saldo atualmente, que ganhei exclusivamente através das pesquisas. Se quiser tentar, fica a dica!

Tirinhas de desenho

Uma coisa bem comum no Facebook ultimamente são as tirinhas feitas de desenho, seja manual ou digital. Como não tenho recursos tecnológicos, faço meus desenhos no papel e tinta mesmo.


Mas o que parece lindo na foto deu muito trabalho na realidade. Desenhar e pintar nunca é tão simples. O negócio depois é tirar a foto. Em geral, ela fica escura ou então com umas partes mais claras que outras. Eu edito tudo no PhotoScape.


Esse foi bem trabalhoso, porque fazer a guitarra foi desafiador porém satisfatório. O conjunto desenho + edição foi agradável pra mim. E que venham mais desenhos!

Aplicativos para colocar texto em fotos

Eu sou uma pessoa que usa muitos aplicativos para editar fotos. No computador, uso o maravilhoso PhotoScape. Obviamente é bem inferior ao PhotoShop, mas é simples e grátis, então dá dentro do que é possível pra mim. Mas nem sempre posso editar as fotos no computador, e o jeito é recorrer ao celular, o que me faz ir atrás dos melhores aplicativos possíveis, como já falei de alguns, tipo o Philm e o VSCO.


Além do PicsArt que uso frequentemente, precisei de aplicativos voltados mais parar colocar texto nas fotos, tendo em vista que criei mais uma página no Facebook: Cenas de filmes com legendas engraçadinhas. Assim, descobri dois aplicativos que quero mostrar hoje porque achei que são muito bons.

Phonto (disponível da PlayStore)
Pensa num aplicativo que tem muitas fontes! Ele não tem filtro, ou seja, não tem efeitos para foto (não que eu tenha achado), mas fontes tem de sobra, além das que apareceram no print.


PicSay
Essa é diferente: tem menos fontes, mas tem mais efeitinhos para sua fot…