Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2017

#22 Luke Cage e o protagonismo negro

Assisti somente até o penúltimo episódio da série, e o tanto de negros e a falta de brancos que a série apresentou já no primeiro episódio me interessou muito.
O protagonista, os colegas de trabalho, o vilão, a moça do bar que também é policial, a mulher importante com um segurança branco, todos negros. Finalmente nada de olhos azuis, peles branquinhas, gente rica nos bairros nobres, dois carros e um cachorro.
O estilo de vida americano-europeu não foi o de sempre, que sinceramente já deu. A representatividade negra, assim como de outras minorias, têm ascendido nas mídias, mesmo com suas falhas normais. A tentativa é útil e necessária, pois o debate do racismo e do espaço do negro em um país com histórico de escravidão e racismo encravado sempre é bem vindo e necessário.
Parabenizo a série não somente pelo excelente enredo, mas pela representatividade — uma vez que sou feminista e na série a mulher negra também tem espaço.
Recomendo demais Luke Cage não somente para quem gosta de açã…

#21 Afinal, o que é viver?

A modernidade nos condicionou a um estilo de vida não muito agradável.
Ano passado, perdi um tio, como falei em outro post. Assim, de repente. Recebi primeiro a notícia de que ele foi para o hospital, e no momento seguinte, se foi. Havia meses que não o via. Mas os filhos dele, meus primos, estiveram na minha casa outro dia.
Uma semana depois, minha família inteira decidiu se reunir para ouvir a palavra de uns amigos americanos. Marcaram para quarta-feira à noite. O problema é que eu dava aula nesse horário.
Falei então com a minha coordenadora, e ela teve de entender, apesar de não se agradar muito, talvez tenha se colocado no meu lugar, não sei. Fiquei pensando que a família é mais importante que o trabalho para o qual nós nos sacrificamos tanto. Nesse momento tive minha primeira questão: afinal, o que é viver? Nessa concepção, viver é aproveitar as pessoas que amamos enquanto estão aqui. O outro “viver” seria trabalhar, ter dinheiro, carreira, comprar uma casa, etc. A vida em soci…

#20 As vantagens do Carnaval

Um dos momentos mais esperados do ano finalmente chegou. Eu prefiro a época do final de ano porque sempre tem comida, sabe? Ceia de natal, jantar de ano novo, churrasco/almoço de ano novo... Carnaval não tem comida específica, não é mesmo? Ninguém sai pra comprar o "peru de Carnaval", até porque né? Peru em época de Carnaval significa outra coisa.
Piadinhas à parte, eu gostava muito dessa época porque eu ia pra o Retiro da igreja. Quem já foi sabe como é legal, e também porque o retiro que eu ia era em Vinagreira! Lá é um refúgio dessa vida moderna (como se Cururupu ou São Luís fosse uma metrópole cercada de drones, robôs e carros que voam).
Como não vou mais pra retiro, por qual outro motivo eu deveria gostar do Carnaval? Fora o fato de que é feriado, e todo feriado é bem vindo. Eu não gosto das músicas populares brasileiras, e muito menos gosto de estar no meio de muita gente, e odeio barulho. Eu nem ouço música no fone de ouvido porque odeio barulho em cima de mim, acho …

#19 Não é como nos filmes

Com os filmes de romance, que aliás eu detesto, criamos um conceito de romance totalmente idealizado e irreal. Às vezes a ideia que temos do que seja amor é algo totalmente nocivo à nossa saúde mental. O quanto devemos nos sacrificar pelo outro? O quanto e quais defeitos devemos suportar e amar?
Sabe quando as feministas falam sobre relacionamento abusivo e desintoxicação do romantismo? Por mais que você odeie feminismo, deve concordar que isso é real, e são problemas que devem ser discutidos, pois podem muito bem se encaixar no relacionamento que você está.
Vamos ver, então, as três coisas que um relacionamento saudável deve ter, na minha opinião, e, se o seu parceiro não está nem aí pra nada disso, talvez ele esteja te fazendo mais mal do que bem.

1. Diálogo Todo mundo já está cansado de saber disso, não é mesmo? Você sabe que isso é base de qualquer relacionamento. É preciso que vocês conversem especialmente sobre os problemas e as coisas que incomodam. Além do mais, o seu parceiro…

#18 Não odeio crianças

Outro dia vi um vídeo da Kefera (sim, é exatamente o que você leu) em que ela chamava as crianças de endiabradas. Ela não falava de todas as crianças, só daquelas que são bem capetinhas. É dessas crianças que eu não gosto.
Na verdade, eu não sou fã de criança nenhuma. Nunca carreguei um bebê na minha vida. Na primeira vez que tentei, achei pesado pra caramba e passei pra outra pessoa segurar. Não acho que eles são bonitinhos e muito menos fofinhos, e isso sempre me causa constrangimento quando alguém me mostra, todo entusiasmado, a foto do seu filho, sobrinho, primo sei lá o quê, e eu tenho que responder: "é.... então né, não acho bebês fofos", e a pessoa me olha como se eu fosse o ser mais insensível do mundo. Claro que não! Eu só não gosto de filhotes humanos. Agora animais é só amor.
Dizem também que, quando eu tiver um filho, eu vou mudar de ideia. Desculpe, mas a frase certa é se eu tiver um filho. Ainda não considerei a possibilidade porque estou muito mais preocupada…

#17 O desânimo bate à porta

"Estou cansada da vida", disse uma amiga minha outro dia. Respondi que estava desanimada também. Os problemas surgem e desmancham nossos planos de uma forma tão avassaladora que chega a doer. Mas fiquem tranquilos, não estou falando sobre o blog. Ele vai continuar com toda certeza. Estou falando de problemas sérios, da vida real.
Fiquei pensando nas coisas que eu queria fazer em 2017, mas com o assalto que sofri em janeiro (que já contei aqui), meus planos foram drasticamente mudados. A ideia do blog apareceu, e ele tem sido um momento de conforto porque eu simplesmente amo escrever e mexer com web design.
Mas acho que esse não é o pior que pode acontecer com os sonhos que temos. O pior mesmo, quando temos um sonho, é não ter o apoio das pessoas que são importantes pra nós. Imagina você querer ser um médico, e todos ao seu redor dizerem pra você procurar algo mais fácil, que a área da medicina é muito díficil, o curso é muito concorrido, é mais trabalhoso do que você pensa.…

#16 Dica de música

Eu sou uma pessoa que não gosta muito de receber indicações de música, porque dificilmente as pessoas acertam quando dizem "ah, tu vai gostar desssa música" "achei a tua cara". Sério que eu tenho cara de piano? 
Desculpe confessar isso pra quem já me indicou música, mas é que eu tenho um prazer enorme em descobrir uma música boa. Tipo quando descobri Live To Rise, do Soundgarden! Nossa, foi uma descoberta incrível!
A ironia é que hoje quero indicar não uma música, mas uma banda. Ok que é uma banda praticamente desfeita atualmente, mas isso não significa que você deve parar de ouvir as músicas deles, ué! Apresento, pra quem ainda não conhece, Palavrantiga:

"Oh, é uma banda gospel?", você pode pensar. Não gosto do termo "gospel", mas antes de dizer algo, ouça. As chances de você gostar são de 90% (isso se você souber apreciar uma boa música, porque se você odiar... você não é um entendedor de música, sinto-lhe informar).
Fui nesse show em 2014, m…

#15 Adolescentes são difíceis?

Eu sou professora de inglês no curso CEIMA e CLC também. Especialmente no CEIMA os alunos são adolescentes da faixa de 15 a 18 anos (assim que se matriculam no curso). Essa semana começou mais um semestre, e também faz dois anos que comecei a dar aula. Obviamente não tem sido fácil lidar com adolescentes.
Houve turmas melhores que outras, claro, porque às vezes dá uma sorte danada pegar uma turma que tá ali super animada, muito afim de fazer amizades, e bem disposta a aprender. Quando isso acontece, pode ter certeza que vai ser um semestre maravilhoso e muito triste no final, quando tiver de reprova-los e dizer tchau pra quem foi aprovado :(
Eu não me distancio muito deles na idade, mas ao vê-los com seus amigos também percebo o quanto cresci e como as nossas preocupações em relação a vida são diferentes. O que aprendi convivendo com adolescentes?
Eles são muito apaixonados pela vida. Aqueles que estão ali pra aprender, enxergam muitas possibilidades pra vida, são muito sonhadores. El…

#14 A natureza do interiorzin

Quem é de interior e vai morar na cidade grande entende o tamanho da saudade que a gente sente de banhar em um rio, sentir o cheiro de árvores, ouvir o barulho de animais na mata quando fazemos aqueles passeios...
Pra quem só sabe o que é piscina, barulho de carros, e a cor dos prédios, eu lamento pelo excesso de concreto em sua vida. Aqui vão as imagens do melhor interior de Cururupu: Vinagreira (sim, é um interior do interior). Esse foi o passeio em família que fizemos em 2014.




Quem um dia for em Vinagreira necessita fazer o clássico percurso. Você encontra os lindos cenários dessas duas fotos, além de pequenos porém lindos detalhes, como:








Pra quem não entendeu, essa foto acima é um toquinho de galho, daqueles que nascem perto da maré, mas que está bem seco. Esse toco não tem mais que um centímetro, e ainda assim, tem um inseto minúsculo em cima dele, consegue ver? Só percebi depois de muito tempo, porque na hora era pequeno demais pra enxergar.
Essa foto não sei como tiraram, mas …

#13 Experiências Sobrenaturais?

Antes disso, olhe só a coincidência: essa postagem, dedicada a contar uma sequência de estranhos eventos que vivi, é de número 13! Eita vida '-'


Quem me conhece, sabe que eu amo filmes de terror. Mas não daqueles sangrentos e de muitas mortes. Gosto de coisas sobrenaturais, espíritos, fantasmas, e até demônios. Eu nunca tive pesadelos por assistir filmes como Invocação do Mal, mas com o segundo filme da sequência, uma coisa estranha aconteceu (vale dizer que eu simplesmente adorei esse filme!).
Seis dias após ver o filme no cinema, eu tive uma sequência de pesadelos, que me fez acordar no meio da noite. E vou contá-los separados e, ainda melhor, nomeados. Prepare-se, tudo o que vou dizer realmente aconteceu.

O menino que falava com  morto Quando deu exatos seis dias após ver o filme, eu sonhei que estava no meu interiorzin. No sonho, eu estava em casa, e no final da minha rua, tinha um muro bem grande, em que antigamente havia uma casa. Tinha um menino por ali que conversava s…

#12 Desenhando roupas

Eu já disse anteriormente que minha mãe costura as roupas que desenho. Hoje, mostro dois exemplos que são os únicos que tenho as fotos :(
 Como somos pobres, usamos os restos das roupas chiques que uma tia minha costura. O vestido a seguir foi feito da junção de três tecidos: um totalmente branco, que foi usado na parte de cima, e outro vermelho e ainda outro estampado, que teve de ser cortado em tiras e depois juntado pra fazer a saia. É como a gente tem que se virar com retalhos! Eu fiz o desenho assim:


E minha mãe transformou em realidade:


Foi, aliás, o vestido que usei no ano novo. A foto foi pro instagram:

Ficou bom? 
A outra roupa foi uma blusinha também de retalho, e que até mencionei em outro post (Como ser fresca). Achei o desenho muito fofinho, as cores e tals:


E aqui, como ficou tão lindinha a blusa:


Já fiz outras, mas ainda vou reunir todas, como prometido, e fazer uma postagem só sobre isso. O que acharam? Eu e ela somos uma ótima dupla de roupas, não? Quem quiser encom…

#11 Fingindo foto profissa

Eu amo fotografia, mas até uma câmera semi profissional é cara pra minha renda de professora. E então, como se virar?

Essas são as dicas que adotei pra mim:

1. Tenha uma câmera razoável Pode ser de celular mesmo. Pra mim as fotos dos celulares da Motorola são as melhores, mesmo o Moto G primeira geração. Elas têm umas cores lindas e capturam muito bem a luminosidade. Então, é necessário antes um celular com uma câmera legalzinha, porque não tem como fazer milagre com foto de 5 mp né? (estou falando para os meros mortais como eu que não tem iPhone).
2. Olhe pro nada Principalmente se você quiser uma foto bem profissa, finja que está em um estúdio. O que nos leva ao próximo passo...
3. Cuidado com o fundo Eu sempre prefiro paredes brancas, ou então com um desenho bem legal. Fundo de muro não rebocado é um pouco mais difícil né? Ah não ser que você queira dar um ar de pedreiro...
4. Perto de uma janela Ou porta, ou qualquer outro ponto de luz natural (o que significa que é melhor tirar foto…

#10 Como ser fresca

No post anterior, eu falei que tive uma fase roqueirona 666 from hell, e que detestava cor de rosa e coisas fofas e blá blá. Tudo passa meus amigos, até a uva passa. Hoje eu ainda não sou fresca, eu simplesmente aceito vários estilos que são até opostos entre si. No post de hoje, vou fazer uma lista das coisas frescas que adotei. A primeira delas foi: usar outro esmalte além de preto! Olhem só como esse nude ficou tão lindo...! (sim, estou usando esmalte nessa foto). Detalhe das minhas veias aparecendo, o que traz um ar de masculinidade HUE.
O anel foi minha avó que me deu de presente de aniversário. O fundo florido é uma blusa que desenhei o modelo para minha mãe fazer com uma sobra de tecido. FLO RI DA, ops, florido*. Sim, eu também pago de estilista agora.
Usar anéis com brilhinho e esmaltes clarinhos, dar um ar de ser fresca, mas literalmente dar um ar de frescura sabe? Fresca tipo menta? Esquece.
Outra coisa é a roupa. Qual a roupa feminina mais fresca que existe? Ponto pra quem…

#9 Não seja estúpido

E quem não é?
Quando somos adolescentes, queremos ser rebeldes, diferentes, mostrar nossa opinião ao mundo, dizer o quando somos únicos, e achar outros únicos iguais a nós ao mesmo tempo... confuso, não?

O bom é que nós mudamos com o passar dos anos, e é engraçado perceber isso (já falei sobre isso em outro post sobre viagem no tempo). Por isso, vou mostrar pra vocês a minha mudança em 7 anos! MEU DEUS QUE SURPRESA, PASSOU TUDO ISSO JÁ?
 Esta era eu na minha festa de 15 anos. Nossa! Pra variar, estava com uma espinha daquelas no meu queixo, consegue ver o relevo brilhoso? Pois é, uma gracinha. Eu estava no primeiro ano do ensino médio, estava estudando com a minha prima (a que falei no post sobre inglês). Eu tinha feito esse corte "massa" no cabelo porque queria ser diferentona, ter um estilo despojado e nada menininha. Mas olha a cara dessa pa-tri-ci-nha?

Nessa época eu também era super fã da Katy Perry. Ela estava estourando em sucesso com o álbum Teenage Dream, o sucesso …

#8 Viagem ao amanhecer

Tapetes felpudos e verdejantes compunham o cenário que passava acelerado diante de seus olhos. Havia um bloco cinza e opaco acima, e árvores secas e marrons espetavam o céu, tendo um estranho dourado realçado pela luz do tímido sol da manhã. Dentro do carro veloz, aconchegada em uma poltrona suja, a menina pensava sobre o novo ano que começaria dali a algumas horas. Não estava ansiosa, não achava que a passagem de um minuto pudesse mudar muita coisa. Mas, como se sabe, pode.
Ela se preocupava, apenas, com o ano que havia passado, e os arrependimentos de seus erros insistiam em ocupar sua mente vazia. Seus olhos apertavam-se como numa tentativa de dissipar os pensamentos de culpa, mas eles sempre estariam ali, não importava o que fizesse.
Uma música então inundou seu cérebro como numa tempestade, e a letra parecia surgir na janela escura. Os lábios movimentavam-se, mudos, acompanhando a poesia cantada. Vez ou outra, porém, o próprio poema com acordes soletrava suas angústias. Ela fina…

#7 Pão é receita pra engordar

Eu sempre fui a pessoa mais magra de todas. Isso me incomodou muito até certa idade, mas depois eu passei a me aceitar assim mesmo, fazer o quê? Aos 18 anos eu pesava 43 kg e uma médica me disse que eu precisava ter 55 kg. Como??

 Ela me passou uma receita de remédios "naturais" (leia-se de gosto horrível), eu não tomei tudo, óbvio, porque se eu não quero eu não quero! Com a mudança de bairro que fiz, a nova casa que eu morava não tinha aquele clássico jantar de arroz, carne, feijão, etc... E como era eu que precisava me manter financeiramente, optei por uma opção mais barata: café ou suco com pão. Nessa época eu pesava 45 (quase não fazia diferença).

Passei meses nisso, e quando me pesei, estava com 47, e eu oxi? Isso pode não parecer nada, mas pra quem não engordava um grama, isso foi o começo de uma alegria. Eu atribuí isso ao pão, e passei a comer muito pão. Depois disso, passei a comer muitas massas, lasanhas, pizzas, macarronadas... Eu já cheguei a comer 8 fatias de p…

#6 Como viajar no tempo

Não se anime. É impossível viajar no tempo, MAS:
Há um tempo, descobri um site chamado Future Me, em que você escreve um email para quem quiser - especialmente pra si mesmo, com a diferença de que o email não vai ser enviado na hora: você programa o dia, mês, e ano que o email deve ser enviado! Legal, não?
Estou comentando isso porque há uns dias eu recebi um email meu, escrito em janeiro de 2015. No email, eu descrevi o que estava fazendo no exato momento em que escrevia o email: sentada no chão da sala da minha casa, lá no meu interior, usando uma internet lenta pra caramba, e estava começando a namorar pela primeira vez, e tudo era novo e ao mesmo tempo estranho, quase me sentia desconfortável ao dizer "meu namorado". Por sorte, ainda estou com o mesmo rapaz.
A questão é que hoje, dois anos depois desse email, eu não lembro desse dia - e olha que nem faz tanto tempo. Não lembro de fazer isso, de estar sentada no chão de casa... No final do email, eu me fiz uma pergunta:

#5 Como eu aprendi inglês

Correção: como eu estou aprendendo inglês*, mas isso seria muito grande pra um título. Vocês entenderam. 

Nesse post, não pretendo dar dicas de aprendizagem, porque tem MUITO disso na internet. Não vejo como eu poderia ser diferente... Só quero compartilhar a minha história pra você ver como foi bem simples.
Os alunos acham que a gente sabe tudo, mas putz, estamos bem longe disso. Eles sempre perguntam: como a senhora aprendeu inglês? Bem crianças (referência a How I Met Your Mother), essa não é uma pergunta muito simples de responder. Quando eu era garota...(pegaram essa referência?) um grupo de missionários americanos fez uma "aliança" com a igreja que eu fazia parte. Desde então, eu tinha uns 7 ou 8 anos, eu quis aprender inglês pra falar com eles. Eu peguei uns livros de inglês e comecei a aprender palavras, as cores, números, bem básico.
Na escola, já adolescente, eu tive aulas sobre a estrutura das frases, tempos verbais, a coisa gramatical. Foi nessa época que comecei…

#4 Um pouco de Feminismo

As postagens iniciais desse blog, como se pode perceber, são coleções de postagens do facebook que
acredito serem pertinentes e porque o blog é meu e eu posto o que eu quiser...?

Mas falando sério, de uns tempos pra cá eu resolvi ver mais algumas pautas feministas, lido um pouco sobre as diversas correntes, e ouvido muita gente chamar feminismo de besteira. É claro que existem feministas que só fazem merda, todo movimento tem esse tipo de gente. As igrejas, por exemplo, têm padres pedófilos e pastores ladrões, mas por causa deles você vai condenar o cristianismo todo? Não, né? Então deixa de ser OTÁRIO.


Roupa de puta?
Uma vez um acontecimento me fez pensar. Eu estava numa parada de ônibus que ficava em frente a um cabaré. Era noite. Duas meninas estavam esperando ônibus também, mas elas estavam com umas roupas bem curtas e decotadas, sabe? Daí um cara de moto parou e perguntou quanto era. Elas riram bem constrangidas e, percebendo o engano, o homem foi embora. O que acham disso ? Ele t…

#3 Histórias de Supermercado

Geralmente, eu posto no Facebook coisas interessantes que acontecem comigo quando vou ao Supermercado, seja no caminho até lá, seja dentro da loja, enfim. Reuni as postagens aqui. Divirta-se!


A corrupção cotidiana

Eu tava no caixa já, e o homem na minha frente estava comendo um chocolate, e tava com a embalagem entre as compras. A esposa dele chegou com o filho pequeno, e ele deu o restante do chocolate pra a criança. O menino pegou a embalagem e ela caiu dentro do carrinho. A mãe percebeu mas escondeu, deixando passar os produtos sem contar com aquele chocolate de 5 reais. Fiquei olhando pra eles, vendo as pequenas corrupções que cometemos e que ainda reclamamos de maneira hipócrita daqueles que governam nosso país. Quer acabar com a corrupção? Comece você sendo honesto. [Fiquei observando pra ver se eles iam se safar dessa, e percebi que o segurança viu a embalagem no carrinho e voltou eles em um caixa pra pagar. Ouvi o segurança comentando com outro: "já tão ensinando as coisa…

#2 Histórias de ônibus

Esta é uma coleção das "melhores" histórias de ônibus que vivi desde que moro em São Luís. Divirta-se!


Vai novinha?

Um dia no ônibus, um cara veio perguntar se o ônibus passava em tal lugar. Eu expliquei, e depois ele perguntou pra onde eu tava indo. "Pro terminal", respondi. Aí me afastei já com medo dele, e depois ele me pergunta: "Tá indo pro colégio?", E eu só dei a mão como se estivesse pedindo pra ele parar. Ele me disse tchau e fez parada. Ele saiu e eu tava gelada morrendo de medo que fosse mais outro assalto. A única coisa boa é que: tenho cara de ter 16 anos ainda.



 Inglês peculiar

Uma vez uma mulher tava falando com as amigas dela: - Ah mas a boca é minha, eu falo inglês do jeito que eu quiser, se fulano vier me corrigir ele vai escutar...! E falou mais uns montes. Gente, como é que alguém fala outro idioma do jeito que quiser? Boa sorte pra alguém entender que diabos ela tentar dizer em "inglês".


Todo mundo odeia o Chris

Estava eu no …