Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2017

#53 Não há botão de cancelar

Sabe quando algum programa do computador trava de maneira demoníaca e você tem que apelar para o ctrl + alt + del ? Ou então esc para sair de uma janela? Ou quando você muda de ideia sobre baixar um aplicativo e pode simplesmente ir no botão de cancelar? Tão prático resolver algo que ficou difícil ou que você mudou de ideia. Quando dá merda, é só cancelar. É só fugir.


A pena é que não há essa opção para vida - porque a opção que muitas pessoas tomam é exatamente deixar de viver. Porque vivendo mesmo, não tem como simplesmente cancelar as coisas conforme às nossas inúmeras mudanças de ideia. E muito menos podemos cancelar quando as coisas "travam".
Isso também me lembra quando nós odiamos uma pessoa nas redes sociais. Por qualquer motivo que seja, você tem a opção de bloquear e nunca mais ver a irritante foto de perfil minúscula se esgueirando no chat ou nas notificações. É só bloquear e ela some. A pena é que na vida real você tem que encarar não somente o rosto da pessoa, …

#52 Sobre os incomodados

Acho que uma das coisas com a qual eu mais me estressei na vida foi com as pessoas que realmente se incomodam com a minha vida (preste atenção que eu disse "incomodam com a minha vida", e não "se preocupam comigo". Falta de interpretação de texto também me estressa). Vendo as lembranças do Facebook, encontrei a seguinte postagem de Março de 2015: "As pessoas se incomodam demais com coisas insignificantes - e que não têm nada a ver com elas".


Não faço a mínima ideia em que contexto eu disse isso, mas continua sendo insuportavelmente verdadeiro. Quantos comentários você não já recebeu sobre a forma que usa o cabelo? Ou sobre os seus quilos a mais ou a menos? Ou por estar no curso em que está? Ou por qualquer outra coisa que não tem nada a ver com a pessoa, mas ainda assim ela insiste em comentar mesmo quando ninguém pediu a opinião dela?!
Nessa questão entra também os nossos julgamentos e preconceitos. A maioria das pessoas não sabe como é a minha rotina d…

#51 A efemeridade da vida

Dias atrás, fui surpreendida pela notícia do falecimento de um ex colega meu de escola com que estudei no começo do ensino médio. Quando se perde alguém tão repentinamente e numa idade tão nova, nós repensamos nossa vida, por um instante que seja.

Nós nos acostumamos tanto com as pessoas ao nosso redor, em curtir a vida enquanto somos jovens, julgando que apenas no final será o fim. Esquecemos que às vezes o fim não é quando os nossos cabelos estão brancos. Às vezes o fim é hoje mesmo.
Em um momento de infelicidade como essa, nós precisamos pensar que os nossos amigos e a nossa família podem de repente não estar mais aqui. As nossas relações são tão rasas na maioria das vezes, confiando que vamos ver o nosso amigo no próximo final de semana, ao invés de deixar claro hoje o quanto ele é importante pra gente.
Precisamos declarar o nosso amor a nossa família e amigos enquanto eles estão aqui pra saber o quanto os amamos. Não podemos deixar os afetos para amanhã porque não há garantia de…

#50 Tons de Verde

Você não imagina a pesquisa que eu tive de fazer para ter certeza qual é cor tema desse blog (em termos compreensíveis, e não os de linguagem de web). Durante a pesquisa, fiquei na dúvida se era algum tom de azul ou de uma cor chamada ciano (que é essa cor bem aqui). Acabei tendo a confirmação que é um tom de verde. Verde esmeralda.
Com isso, fiquei pensando no tipo de pessoas que existem. Sim, isso mesmo, por causa das cores eu pensei isso. Veja comigo: a forma como as pessoas encaram a descrição de cores diz muito sobre ela. Há quem diga: "ah, isso é vermelho!" E há também quem diga que é "acho que é escarlate", e ainda há quem diga: "acho que tá mais pra #F1A1A".
Pra quem diz: "ah, tanto faz, é tudo vermelho", me parece o tipo de pessoa prática que não se importa muito com detalhes, que não repara quando alguém corta o cabelo, por exemplo. É uma pessoa que não enxerga as coisas minúsculas porque ela vê somente o todo. E isso não é necessaria…

#49 Histórias assustadoras de interiores do Maranhão

Quando criança, ouvi muitas histórias contadas pelo meu pai, especialmente nas noites em que faltava energia e eu ficava ouvindo, à luz de velas, inúmeras histórias. São relatos dos mais velhos contando algo que viveram quando mais novos. Em geral, são assustadores. Se não gosta dessas histórias de terror, melhor parar a leitura aqui.


O cajueiro
Na última praia do litoral maranhense chamada Porto do Meio, uma senhora contou uma história muito interessante. Quando menina, ela costumava brincar num cajueiro da sua casa depois do almoço. Um dia, apareceu para brincar com ela o seu avô (que já falecera). Feliz, contou aos familiares quem havia brincado com ela. Ninguém acreditou, mas ainda assim o cajueiro foi cortado.

O navio cargueiro
Na década de 70, um navio cargueiro que ia para Belém encalhou nos bancos de areia em frente a praia de Caçacoeira, também do Maranhão, porque o mestre do navio não conhecia as áreas. Os moradores das praias vizinhas começaram então a saquear as mercadorias…

#48 Os amores de uma vida

Outro dia vi uma menina postar no seu Facebook pela milésima vez que estava terminando o namoro. Sim, ela expõe a vida no Facebook e eu sinceramente não sei de onde eu adicionei ela, mas assim mesmo não excluí porque o número de vezes que eu já vi ela fazer textos imensos de amor é inacreditável (e quero ver até onde isso vai).



Acredito que faz uns sete anos que tenho essa menina como amiga no Facebook (não sei quem é ela, de onde é, onde mora nem o que faz da vida, mas sei a vida amorosa dela e o conflito com o pai), e durante esse tempo, acho que ela terminou o quinto namoro com o amor da vida dela. Ela se lamentou por ter acreditado demais, que não sei quem não merecia ela, etc, etc. E eu fico pensando como ela pode tão facilmente declarar amar alguém, querer passar a vida com essa pessoa em tão pouco tempo que conhece a pessoa, meu Deus?
Se entregar muito a um sentimento que você não pode ter certeza que vai durar é pedir para se decepcionar. Fiquei pensando em quantas vezes vi e…

#47 Vinte e Cinco de Março

Já percebeu que você não fala vinte e cinco? Você fala vinte cinco. Esse é só um pequeno exemplo de como a fala é diferente da escrita, e por isso as pessoas acabam falando “errado”. E quando trazem esse “erro”  pra escrita, meu Deus do céu, é o fim do mundo.


Outro “erro” que é super condenado é trocar mais com mas. Cara, você fala “mais”  nos dois usos! Pode perceber. Por isso a gente acaba levando isso pra escrita. O som é o mesmo. Você escreve nós, mas fala nóis, escreve arroz, mas fala arroiz. Não é mesmo?
“Agente” é outro massacrado quando usado no lugar de a gente. Mas você fala: “Ontem, a espaço gente foi no cinema”. Não né? Quem não tem o hábito de leitura, ou não terminou a escola, ou já terminou a escola há muito tempo e não vive mais escrevendo e lendo, acaba cometendo esses erros na escrita porque na fala não tem diferença. Quando você vai escrever algo, em geral você lê em voz alta o que escreveu pra ver se não soa estranho. Como agente x a gente vai ter sons diferentes?…

#46 O que é Representatividade

Eu criei uma atividade com os meus alunos de inglês dos níveis mais altos que desenvolvesse a fluência deles. A atividade tem uma proposta simples: criar um personagem que eles usem para fazer coisas que normalmente eles não fazem. Por exemplo, às vezes pergunto: What did you do last week? (o que você fez semana passada?) e eles respondem coisas básicas e simples demais: I went to school. I did nothing (eu fui pra escola. Não fiz nada) e realmente eles não fazem. Mas é necessário que eles falem, porque afinal eles estão no curso de inglês pra FALAR EM INGLÊS.
Assim, o personagem é a escapatória. Eles podem criar um milhão de coisas fora do comum e são forçados a falar bastante. A princípio eu pedi que apresentassem o personagem, dessem as características deles, até mesmo físicas, e sabe o que percebi? Eles praticamente se descreveram.
Quem era loiro e tinha os olhos claros, criou um personagem com as mesmas características. Quem era negro e tinha o cabelo cacheado ou crespo, fez o pe…

#45 Assinei TAG - Experiências Literárias

Eu não sei de onde tirei a ideia de me associar a algo que guarda um mistério a ser revelado todo mês e que você tem que esperar chegar pelo correio. Eu sou uma pessoa ansiosa demais. Todo santo dia eu faço o rastreamento do meu pedido no correio. Mas, né, me aventurei me associando a Tag - Experiências literárias.



Não estou sendo paga pra falar deles, mas acho que é um iniciativa tão fofinha que eu faço questão de compartilhar (acho que é uma estratégia deles). Pra quem não conhece ainda, todo mês você recebe uma caixinha na qual vem um livro escolhido por um dos tais curadores deles, um mimo, um marca página e uma revista informativa sobre a obra. O valor é de R$ 69,90 mensais.
Quero primeiro fazer uma observação sobre o que aconteceu no dia que me associei a Tag. Fui conectar com a Méliuz pra receber um dinheiro de volta (sim, existe isso, mas eu explico em outro post) e olha a coisa bizarra que apareceu:


Como podem ver a data, me associei no dia 24 de fevereiro de 2017, e nesse p…

#44 Futurista

Ser estudante de Letras é praticamente um pressuposto de que você gosta de ler e escrever. Há quem escreva poesia, e há quem ame prosa, que é o meu caso. E não somente amo prosa, como encontrei meu lugar na literatura que é Ficção Científica. Desde o segundo período de Letras faço parte do grupo de pesquisa chamado FICÇA que estuda os gêneros literários da área de sci-fi e fantasia também, além de estudos de gênero, discurso, memória e etc, mas isso é coisa pra outro texto.
O que quero dizer aqui é que desde sempre tenho publicado historinhas que escrevo e quero compartilhar aqui nesse blog um diálogo que fiz que combina as minhas duas áreas de pesquisa: ficção científica e feminismo. É um textinho em forma de diálogo, espero que gostem! (não dei um título).









– Então, amigo – disse após um breve sorriso –, parece que a sua desgraça cotidiana lhe aconteceu novamente. – Confesso, não que estava sentindo falta, mas que pressentia que isso aconteceria.  – Por isso chamo de desgraça cotidi…

#43 Volta às aulas

Uma palavra pra resumir esse dia? Cansaço.
Acordei cedo, tomei meu café, e saí. Peguei o ônibus assim que cheguei na parada, e achei que isso foi uma sorte. A verdade é que ao chegar no terminal esperei uns vinte minutos por um ônibus que prestava pra acabar indo em pé, mas fazer o quê né?
Depois de uma hora, finalmente chego no terminal onde tenho que pegar outro ônibus - um que vá pra universidade. Peguei ele? Claro que não. Primeiro dia é mais lotado que o resto do semestre, cheio de calouros esperançosos, coitados.
As duas aulas que tive foram razoáveis. Tirar xerox (apesar de ter sido quase dez reais só de xerox) e fazer anotações me dá uma disposição inexplicável. Me chamem do que quiser, mas eu amo estudar. Amo ler textos, mesmo que chatos, amo marcar com os pincéis coloridos as partes importantes, amo fazer anotações e comentários sobre essas partes, amo fazer resumos. O que mais amo mesmo é papelaria: cadernos novos, papéis, canetas, hidrocor, marcador de texto, post-it (meu…

#42 O número do universo

Um dia conheci um cara aparentemente legal. Conversamos por muito tempo, depois a vida acontece e paramos de nos falar. Gostava de falar com ele pois era o tipo nerd e eu aprendia muito conversando com ele. Uma vez perguntei qual o seu número favorito e ele me disse que era quarenta e dois, pois este era o número do universo. Ele me falou várias coisas mas eu não me lembro de nada pois isso já faz quatro anos. Hoje chego ao texto de número quarenta e dois e me lembrei disso, que ouvi dizer que era o número do universo. Ele me falou (disso eu me lembro) e o que eu achei é o Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas (eu sou o dougras) Adams, que é uma série de livros de ficção científica, em que 42 é a resposta de um robô superinteligente quando perguntado qual o sentido da vida. E realmente 42 é um dos números da combinação dos números misteriosos de Lost, lembra? Tem também uma série de coincidências com esse número pra quem é louco das ideias, o que não é meu caso.
Agora que sabem…

#41 Existe mais mulher bonita no mundo?

É fato que existe mais mulher no mundo do que homem, certo? Certo. Mas já reparou que além disso, existe mais mulher bonita que homem bonito?

Quero que você, que foi ou é estudante de escola pública, lembre-se da sua sala de aula (em especial do ensino médio), e lembre-se de quantas meninas lindas estudavam na sua sala. Umas três pelo menos, né? E meninas bonitas tinha umas dez. Meninas “aceitáveis” (nas que a gente se inclui kk) tinha mais oito. As outras meninas comuns eram umas cinco. Aí temos vinte e seis meninas, e o resto de quatorze meninos (pra uma sala comum de quarenta alunos).
Desses quatorze meninos, algum era bonito? Com sorte, um ou dois. Uns quatro eram comuns, o resto era o tipo “Deus me livre”. Entende onde quero chegar?

Normalmente nessas escolas públicas existe um menino considerado lindo PRA ESCOLA INTEIRA. Um único menino maravilhoso disputado pela escola toda, inclusive pelas três lindas de cada sala. Porque toda sala tinha pelo menos uma menina linda. Agora men…

#40 Dias

E durou o dilúvio quarenta dias sobre a terra, e cresceram as águas e levantaram a arca, e ela se elevou sobre a terra. Gênesis 7:17

Passei por um pensamentos pesados nos últimos dias porque às vezes as coisas sobrecarregam e cansam demais. Alguém próximo me disse “não desiste agora siow, tu já passou por coisa pior, já faz quatro anos que saiu da casa dos teus pais, o pior mesmo já passou. As coisas ficam difícil uma hora, a vida é assim mesmo. Só não pode desistir” (tá, a pessoa não falou “siow”, mas eu acho engraçado).
Realmente. Uma hora a gente sente as coisas ruins, mesmo que aparentemente esteja tudo bem. Penso nas pessoas famosas e ricas, que têm tudo para ser completamente felizes, mas que por vezes se afundam em drogas ou outros escândalos e não se sentem completas, ou apenas se sentem super lotadas de tudo.
O mais importante nesse momento é descarregar. Chore o quanto for necessário. Uma vez ouvi uma história infantil em que o pai ensinou ao filho que homem não chorava. E t…

#39 Por que feminista não luta pelo alistamento obrigatório?

Já parou para ler os comentários de homens em páginas feministas? Quando não irrita, dá pra rir bastante. Acho que um dos mais engraçados é o que escolhi como título desse texto.
Muitos homens que odeiam feministas usam o argumento mais idiota possível “ah, se as feministas querem igualdade, por que não lutam pra ter o alistamento obrigatório para as mulheres também?”
Por isso:

Retirei esse comentário de uma postagem de um colega meu. Ele tinha postado a foto de três mulheres servindo no exército, e o amigo dele comentou isso. Ué? Os homens não se decidem se as mulheres “podem” ou não servir!
A ideia do feminismo é pra libertar as mulheres de tantas regrinhas que não tem nada a ver e que só limitam o campo de atuação feminino enquanto aos homens permite e incentiva às coisas grandiosas. Não seria, desse modo, ilógico lutar por algo contrário à liberdade, tipo o serviço militar obrigatório?!
Homens dizem para as feministas lutarem pelo alistamento obrigatório também para mulheres, mas…

#38 Vou voltar pro Youtube

Pra quem já sabe, cheguei a postar uns três vídeos no Youtube: um sobre feminismo, outro sobre ficção científica, e um que acho muito engraçado sobre como fiz a capinha do meu antigo celular. Acabei tendo que parar por dois principais motivos: eu estava sem tempo de gravar e editar vídeos; e depois fui assaltada, e era com meu celular que eu gravava os vídeos. O celular que tenho atualmente não serve pra vídeos (contou quantas vezes escrevi “vídeos”?).
Como estou com o projeto de investir em um celular melhor para me ajudar principalmente com o blog, consequentemente eu vou poder voltar a gravar novamente, até porque minha graduação está chegando aos últimos semestres, então já passou aquela agonia horrível de trabalhar + fazer 7 disciplinas. Isso não é de Deus!
A ideia é que o canal siga a mesma linha do blog, até pra me concentrar em uma linha só. Eu não sou o Felipe Neto que posta um vídeo todo santo dia. Fazer um texto por dia é inigualavelmente mais fácil que fazer um vídeo por …

#37 Entre o pecado e a homofobia

Como falar de homofobia e pecado ao mesmo tempo? Depois de muito pensar, cheguei a algumas conclusões. Primeiro preciso que você tenha em mente que muitos cristãos consideram a homossexualidade pecado, e eu entendo isso porque é aquele discurso de que Deus fez macho e fêmea para construir uma família através da reprodução natural. Você tem que entender que a crença cristã é essa e você não pode mudar isso. O que podemos combater é o ódio às pessoas. E é isso que quero falar.
Como falar da homofobia entre o meio cristão? De um lado, os cristãos são altamente xingados quando declaram que Deus fez Adão e Eva e por isso, consequentemente, a homossexualidade não se encaixa como uma relação tal qual entre homem e mulher. Por outro lado, eles se defendem alegando que não tem preconceito, apenas condenam “a prática homossexual”, pois esta é pecado, afirmam. Escrevo este texto objetivando esclarecer o discurso de cristãos e a homofobia dos mesmos. Não tenho religião atualmente, mas vivi tempo…

#36 O que não melhora com o tempo, estraga

Enquanto eu me maquiava para sair, pensava num novo texto pro blog. “Hum, posso usar um dos textos antigos”, pensei, “os dos blogs antigos. Pelo menos os que forem bons, e tenho que analisar antes a minha escrita, espero que eu tenha melhorado. O que não melhora com o tempo, estraga”. E daí parei de repente a maquiagem, me olhei por segundos no espelho e fiquei pensando sobre a frase que tinha acabado de formular, e no quanto ela significava e em quantas coisas ela fazia um sentido absurdo.
Geralmente, quando estamos em qualquer coisa desconfortável - um relacionamento (namoro ou amizade) que não vai bem, um curso que parece infrutífero, um emprego que parece nada a ver com você, e uma infinidade de escolhas que fazemos e depois percebemos que não está tudo bem. Você pensa “Não, mas com o tempo vai melhorar” “É só uma questão de tempo”. E ficamos presos em situações desagradáveis.
Tá, as coisas podem sim melhorar com o tempo. Mas nem sempre. E o efeito é exatamente o contrário de mel…

#35 Meus melhores prints do Facebook

A vida é às vezes tão sem graça que você tem que fazer a própria graça e essa é uma das minhas especialidades, porque eu realmente sou bem palhacinha. Quem convive comigo sempre dá umas boas risadas com as minhas piadas, e quem me tem no facebook, tem que lidar todos os dias com o seguinte tipo de publicações:
1. Ela riu bastante


2. O machismo e o mansplaining


2. O machismo e o mansplaining

3. Geografia tá doente

4. Cururupu é o interior onde eu nasci

5. Já acabou Jéssica?

6. Desenhos são engraçados né

7. Como se fosse a primeira vez...

8. Estranho, não?

#34 Você sabe de quais animações são essas frases?

Eu tenho mais de vinte anos de idade e simplesmente amo filmes de animações. Toy Story é eternamente o meu preferido! Eu não somente assisto às novas animações, como adoro repetir as clássicas até decorar as falas e parecer uma criança de cinco anos falando as falas junto com os personagens.


E você? É tão fã de animação quanto eu? Consegue adivinhar de quais filmes de animação são as frases seguintes? Faça suas apostas (não são animações tipo Frozen ou Moana, ok?)
- Não me admira que não tenha amigos! - Ahh, vocês dois têm camadas... - Ouvi dizer que ele dá golpes baixos, hehehe. O filme é um romance improvável, sabe qual é? Confira aqui
- ô consciência, eu morri? - Peixes são amigos, não comida. - Dá agua viva, minha cria; minha cria dá, água vida Fácil demais esse né? Veja se acertou aqui: foto
- "Não Zeca, não olha pra luz!" "não dá pra evitar, é tão bonita..." - "Isso é uma pedra?" "Não sei, deve ser coisa de formiga" - Sou o único graveto …

#33 Nós estamos em 1984

Na minha lista de livros preferidos está Nineteen Eighty-Four (1949), de George Orwell. Eu lembro que a primeira coisa que ouvi falar desse livro é que ele foi inspiração para o programa chato pra cacete chamado Big Brother. Sabia disso né?
Pra quem não sabe nada do livro, posso resumir que existe esse suposto Grande Irmão, que é a autoridade suprema, mas ele pode nem ser uma pessoa real, afinal de contas quem governa tudo é o Partido. O elemento que inspirou o programa são as chamadas teletelas, que são uma espécie de tv barra câmera, pois ao mesmo tempo que transmite imagens, ela também grava e vigia eternamente tudo o que os membros dessa sociedade fazem, o que significa que eles são proibidos de fazer um monte de coisas. Aconselho a leitura.
Pra quem já leu, com certeza já comparou o enredo do livro com o nosso cenário tecnológico atual. Não falo somente das câmeras de segurança, mas de como somos constantemente rastreados através de nossos smartphones e durante a nossa navegação…

#32 A chata literatura da escola

Quando estava no sexto período de Letras, fiz um trabalho de Intervenção na Realidade Escolar  —  que é aquela disciplina que te faz pensar por que raios você escolheu licenciatura  — e decidi que trabalharia Literatura com os alunos da escola escolhida, partindo de uma problematização que muito me angustia: a literatura na escola é chata.
Quando eu ainda estudava na escola, não aprendi nada de literatura, mas ainda assim tive interesse por leitura, livros e tudo mais  —  afinal eu sou o rei das palavras (um dia eu explico isso rs). Eu costumava ir nas bibliotecas das escolas e da minha cidade (só tinha uma, o farol da educação) e descobri muitos títulos e autores sozinha, então me apaixonei por eles. Descobri Júlio Verne, Victor Hugo, Arthur Conan Doyle e alguns brasileiros, tudo que fosse voltado para ficção, fantasia, aventura, porque os romance urbanos comuns da literatura clássica brasileira com seu nível linguístico altíssimo não são interessantes para alguém de 12 ou 16 anos.

#31 Vagabundo bom é vagabundo morto?

No dia internacional da mulher eu não presenciei nada que me fizesse escrever um texto sobre a mulher, mas aconteceu algo bem curioso também.

Eu estava em um ônibus lotado, mas pelo menos com ar condicionado. Estava em pé, cansada depois de passar a tarde dando aula em pé, mas fazer o que né? Em determinado ponto do percuso, um casal de meia idade entrou pela porta do meio, e o motorista tentou fechar a porta bem rápido para impedir, mas a mulher prendeu o braço na porta e gritou: "c***lho! meu braço, p*rra!", assim o motorista teve de abrir a porta, e ela se soltou e ficou dentro do ônibus xingando junto com o homem. Ambos estavam notavelmente alterados, e bem sujos, carregando obras de artesanato feitas com latinhas, provavelmente para vender. Eles ficaram conversando bem alto, e na parada seguinte desceram do ônibus furiosos, o que fez o homem chutar a parte de vidro da porta do meio, quebrando-a. Todo mundo ficou "meu Deus!", o motorista desceu e os dois discu…

#30 O chato Feminismo da internet

Antes de qualquer coisa: hoje é dia das mulheres! E nada melhor do que falar sobre feminismo, mas não da maneira que você deve estar pensando... Vamos lá então?

Aliás, lembra de quando estudaram artigo definido nas aulas de português na escola? Exatamente. Não tô falando que o feminismo da internet é chato, claro que não. Tô falando que tem feministas chatas na internet e esse feminismo é chato pra caramba, até porque existe gente chata em todo lugar. E quais são as chatices que estou falando?



A feminista desconstruidona Outro dia vi em um grupo feminista (o último que tentei participar), uma discussão sobre "poliamor". O discurso que ficou é que quem tem um relacionamento com mais de uma pessoa, é alguém "evoluído", "desconstruído", de um nível de desenvolvimento intelectual superior aos meros mortais que se relacionam com somente uma pessoa. WHAT? Se tem algo bem irritante sobre esse tipo de pensamento feminista é que somente quem pensa de determinada m…

#29 Meus maiores micos

Se eu sou uma pessoa que tem muito azar, é óbvio que pago uns bons micos sempre que posso né? Um exemplo de azar: comprei uma sandália nova e no dia seguinte, na primeira vez que vou usar, o que acontece? Isso mesmo, piso num chiclete. Imagina esse azar somado a micos? Pois é. Vou contar aqui alguns dos piores.
Absorvente Eu estava no retiro da igreja e lá estava o menino por quem eu era apaixonada na época. Ele tava sentado na calçada da escola onde as pessoas se alojavam, e eu passei na frente dele com as minhas coisas (eu ia banhar). Lá cai o absorvente e alguém grita: "Loreeena, caiu aí ó!", BEM NA FRENTE DO MENINO. Eu ajuntei o pacote e então não somente ele, mas todo mundo da igreja sabia que eu estava naqueles dias. Ai que vergonha.
Chamei a pessoa errada Tinha saído de moto com meu pai numa noite, e vi que íamos passar por um grupo de meninas, e nesse meio reconheci de longe uma amiga da escola (pelo menos eu achava que era). Quando passamos por elas gritei, super ent…

#28 Por que Logan não tem cena pós-créditos?

O diretor do filme Logan desmentiu os boatos sobre uma cena pós-créditos no filme, mas o que eu fico pensando é porque as pessoas acharam que ia ter (apesar de um site ter afirmado que teria). Uma coisa básica que precisamos saber (pelo menos os que gostam do universo cinematográfico dos heróis) é a questão dos direitos sobre determinados personagens da Marvel.



Já percebeu que no Quarteto Fantástico o ator (Chris Evans) que faz o Tocha Humana é o mesmo do Capitão América? São todos personagens do universo da Marvel e, se você já prestou atenção, todos os filmes da Marvel estão conectados com o lance das jóias do infinito. Isso significa que no mesmo mundo em que existe o Capitão América existe o Tocha Humana, sendo que nos desenhos e HQs eles até trabalham juntos, mas como poderia ser em um filme? Apesar do homão que o Chris Evans é, ele não pode se dividir em dois. O que acontece então?
Primeiro precisamos separar os universos. Estamos falando de universo cinematográfico, e não dos …

#27 Você não tem opinião própria

CALMA, NÃO ME MATE POR ISSO! O título precisava chamar atenção.
Sabe quando as pessoas dizem "ah, mas essa é minha opinião" "é assim que eu penso"? Pois é, não é exatamente um pensamento propriamente seu. Vou explicar.
Fiz uma disciplina chamada Análise de Discurso, e aprendi existe uma coisa chamada polifonia, que todos os discursos são transpassados por outros discursos. Isso significa dizer que quando eu falo alguma coisa, eu não tenho uma opinião "pura", exclusivamente minha. Nessa opinião está refletido todo o meu conhecimento, minha visão de mundo, posicionamentos políticos, religiosos, e até a história do meu país. Tudo o que me cerca e tudo o que aconteceu antes da minha existência influencia a maneira que eu penso as coisas. Isso se chama formação de discurso.

Quando eu digo que "penso de tal forma", eu só faço um apanhado de tudo o que eu sei sobre determinado assunto e outros relacionados, tudo o que me foi ensinado, tudo o que eu de…

#26 A semelhança entre Dr Estranho e Quarteto Fantástico (filme)

Já que Doutor Estranho é mais recente, vou começar falando do filme Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado, pra então dizer qual foi a semelhança que percebi entre os dois filmes.


Pra quem não lembra, no filme Quarteto Fantástico o vilão a ser derrotado pelo grupo é o Doutor Destino, mas a maior ameaça é Galactus, um ser cósmico devorador de mundos, que era o mestre do Surfista Prateado. Ele está vindo para terra para devorá-la, obviamente, e o confronto entre o vilão e os heróis acontece em Xangai, quando o surfista supostamente se sacrifica para impedir Galactus e salvar a Terra.





Esse enredo não é lembrado em Doutor Estranho? O feitceiro Kaecilius (caiu os cílios do bichinho, coitado) está trazendo o Dormammu, um ser também gigante mas de outra dimensão, para a Terra. A batalha final acontece onde? Hong Kong! Isso, mais uma vez na China!



A semelhança não é somente pelo ser enorme que está vindo destruir o planeta Terra, mas também pelo cenário. As duas batalhas acontecem na Chin…