Pular para o conteúdo principal

A matemática na vida adulta

Quando eu tava na escola, até gostava de matemática, de álgebra especialmente. Mas odiava aquelas questões das Olimpíadas de Matemática ou do ENEM, que é uma coisa sem sentido, tipo, um menino virar uma moeda não sei quantas vezes, ou se você tem tantas bolas pretas e tantas brancas numa caixa, quantas bolas não sei o que mais... São umas questões tão nonsense, que como adolescente que era na época, eu achava engraçadas de tão ridículas que eram.

Mas um dia desse eu percebi que essas questões estranhas estão presentes na nossa vida sim, especialmente na vida adulta, quando você tem que fazer as compras no supermercado e é pobre, assim tem que saber fazer os cálculos para economizar ao máximo, afinal você é pobre! 

Exemplo prático: existe basicamente dois tipos de amaciantes que você pode comprar. Um concentrado, bem consistente, que você coloca uma gota e ele cheira na roupa por um mês, ou do normal, que você coloca o copinho todo e mais um pouco pra ter o mesmo efeito. Esse último, dependendo da marca, custa até R$ 2,50. Já o outro, custa por volta de R$ 8. Na embalagem, o amaciante normal diz render 6 lavagens, enquanto o concentrado rende 22. Aí o cálculo que você faz é: quantos amaciantes normais eu preciso comprar para equivaler ao concentrado? Qual opção é mais econômica?

Provavelmente comprar o concentrado é a melhor opção, mas isso é o que eu acho, porque ainda não consegui fazer esse cálculo. Deixo pra vocês esse problema de matemática da vida real, e não um problema em que um moleque com problemas mentais fica sozinho virando moeda milhares de vezes.


Mais lidos do mês

O que me faz chorar?

Eu nunca fui o tipo que chora com filmes de romance, histórias de amor que dão errado, blá blá. Não sou uma pessoa romântica e muito menos gosto das estórias forçadas dos filmes, completamente irreais que fazem os bestas acreditarem que a vida pode ser assim, só fazendo com que se frustem cada vez que percebem que não é bem assim.

Mas não é que eu não chore com filmes (ou com livros). Eu choro sim, como se a dor fosse minha, mas somente em duas situações: animais ou família.

Animais
Sabe né? Filmes como Marley e Eu, ou Sempre Ao Seu Lado, que aliás eu nunca assisti porque eu sei que vou chorar. Animais são meu ponto fraco, eu choro mesmo, especialmente quando os gatinhos que eu tinha morreram. Nossa, que aperto no coração só de lembrar.

Família
Como assim família? Chorei naquele filme besta, A última música, porque o pai da menina morre. Filmes em que os pais morrem me dói demais, tu é louco. O livro A Menina que Roubava Livros também me fez chorar, e também o livro O Xará, que é o que …

#66 Derramei esmalte no meu olho

Esse dia inacreditável aconteceu. A postagem anterior me rendeu um episódio memorável que conto com orgulho e embaraço. Felizmente, a reação da nossa geração frente a qualquer acontecimento, seja bom ou ruim, é tirar foto ou fazer vídeo e colocar na internet. E aqui estão as recordações do dia em que eu derramei esmalte no meu olho:
Bem crianças, eu estava pintando minha unha com Maçã do Amor, da Risqué e, enquanto pintava do dedo anelar direito, o pincel, de alguma forma, caiu pra trás da minha mão com a qual o segurava, bateu a ponta na mesa, e espirram gotas das cerdas que vieram diretamente para o meu pescoço e, óbvio, o meu olho. Eu corri desesperadamente em direção à pia da cozinha porque a do banheiro não está prestando, e gritei. Meu irmão dormia profundamente na sala, mas acordou perguntando "o que aconteceu?", eu falei, e ele "ah tá" e voltou a dormir. Que preocupação.
Voltei pro quarto e fui pegar o esmalte, mas o vidro caiu pra dentro da bacia com água…

O dublador de Jack Sparrow mudou

Assisti Piratas do Caribe: A vingança de Salazar e me deparei com uma coisa que acho horrível: a mudança de um dublador. Sim, eu assisti e assisto filmes dublados. Na primeira respiração de Jack Sparrow eu percebi esse fato que parte meu coração (ou seriam os ouvidos?). Pesquisei e achei uma coisa bem triste, mas calma! O dublador não morreu. Marco Antonio Costa, dublador antes oficial de Jack Sparrow, fez a seguinte postagem no facebook. Coloquei o texto por completo aqui, mas vou deixar o link no final:
Meus amigos e fãs de dublagem, eu venho comunicar que, infelizmente, não dublei o próximo filme da franquia "Piratas do Caribe".  O motivo? Simples. Eu explico. A Disney muitas vezes paga de 20 a 30 vezes mais para atores "Globais" ou mais conhecidos como "Star Talents" para alguns personagens em seus filmes. Quando foram dublar "Procurando Dory", chegaram a pagar 40 vezes mais do que um dublador recebe para dois "Youtubers", pois segun…

#62 Como ser uma pessoa fria

Primeiro é preciso que um dia você tenha sido uma pessoa quente, se é que você me entende. Uma pessoa fofinha, esperançosa, cheia de sentimentos e sonhos, que se apaixona e ama, e se entrega de corpo e alma para uma coisa que ela nem entende direito. Aí você vai se machucar profundamente com as pessoas em quem você confiou totalmente e vai ter seus doces sentimentos completamente destruídos, e vai acordar para a vida real. E aí você vai ser mais frio. Vai descobrir, da pior forma, que a vida não é um filme da Disney, que as pessoas não são tão amigáveis e muitas não estão nem aí para os seus sentimentos.


Não estou falando isso porque passei por isso recentemente, até porque não passei. Mas vi alguém passar. E falando sobre isso com alguém que ainda nem conheço (ele sabe, salve Jhonata o/), fiquei pensando (e ele me sugeriu também que escrevesse um texto sobre isso) sobre como mudamos com as coisas que passamos, o que eu julgo natural acontecer, afinal significa que alguma coisa apren…

A melhor selagem de São Luís

Em 2014 eu fiz selagem no cabelo pela primeira vez. O meu cabelo sempre foi um liso rebelde, ele tinha umas ondulações estranhas e muito frizz, me incomodava bastante. Eu já tinha 19 anos, então minha mãe deixou. Já contei em um texto aqui o quanto meu cabelo cresceu e quantas vezes eu fiz selagem.

A primeira selagem de 2017 foi em março e agora sete meses depois eu fiz novamente, porque a raiz tava me incomodando.


As duas principais vantagens para mim dessa selagem é que o cabelo ganha muito mais brilho e clareia muito mais! Olha a foto sem edição alguma:

O preço da selagem varia de acordo com cada cabelo, mas como fui na semana de inauguração do salão, custou apenas R$ 100. Agora a semana terminou, lamento :(. Após algumas lavagens, esse efeito escorrido artificial vai embora, e fica um liso super natural! A vantagem pra mim é que mesmo meu cabelo crescendo muito rápido, a raiz dele é lisa então eu posso passar bem mais que três meses sem precisar fazer de novo.

O salão fica no Jard…

Um texto sobre maquiagem

Eu estava vendo alguns blogs e canais de meninas e fiquei feliz por ainda cumprir com meu objetivo: não fazer um blog/canal que siga as imposições do gênero feminino: ser vaidosa, e falar de maquiagem e moda. A vez que falei de roupas aqui, foi sobre as roupas que minha mãe fez... E maquiagem? Não, ainda não.

Mas calma, não tô falando que falar dessas coisas seja ruim, claro que não é. Eu gosto de ler e assistir coisas sobre cabelo e maquiagem, gosto das dicas. Só não acho que nasci pra falar disso. Meu gosto pra essas coisas é específico e não "compartilhável". 
Pra provar que não vejo o menor problema com isso, vou falar nesse post sobre as maquiagens que comprei recentemente e as mudanças que fiz no meu jeito de me maquiar desde que passei a acompanhar a Mari Maria.
Sombras e batom da Quem disse, Berenice? foram meus gastos recentes mas com muito  orgulho porque a maquiagem é muito boa. Passei a sombra de manhã e ficou até quando cheguei em casa, quase meia noite, sem re…

O modo retrato do iPhone 7 Plus

Lembro de quando vi a propaganda desse "efeito" da câmera do iPhone 7, que dava um ar de profissional às fotos.


Eu fiquei admiradíssima. Mano, parece foto de câmera profissional. O meu celular até tem uma câmera legal, mas iPhone com certeza é o melhor se tratando de câmera. O máximo que meu celular consegue, sem eu editar, é isso:


Bota diferença nisso né? Ainda assim, não acho valer a pena o preço do celular, especialmente no Brasil. Prefiro pagar mais barato, ter uma foto mais ou menos, editar o quanto puder pra melhorar, que sai mais barato. Parabéns pra quem pode comprar um iPhone.

Kit da TAG de Setembro 2017

Com mais um mês que chega a sua metade, chega também o kit da TAG Experiências Literárias, de Setembro de 2017. No mês do meu aniversário, a TAG escolheu minha cor menos preferida, mas pelo menos o livro é de literatura brasileira. Vamos ao kit?

O kit completo é esse aqui - e a foto ficou maravilhosa, comentário a parte!

O mimo foi essa sacolinha, acho que pra remeter a ideia de encomenda, que é como começa a narrativa de "Quase Memória", de Carlos Heitor Cony, autor escolhido do mês. O protagonista recebe um pacote e daí começa a narrativa. Ainda estou no começo do livro, então não sei o motivo das mangas.

A revistinha informativa também segue a ideia de uma encomenda.

O marca-página é uma gracinha, sempre.

A box colecionável é a própria encomenda!

E enfim o livro, Quase Memória, porque o livro é uma quase biografia, mistura ficção e realidade, mas você não consegue saber qual é qual.
Com direito a umas palavrinhas do autor, afinal ele está vivo, com 91 anos.
Lindo, não é m…

Temas para a redação do ENEM 2017

Certa vez vi no Facebook uma imagem que pessoas ignorantes gostam de compartilhar. A imagem era essa:


Não seja mais um desses ignorantes, entenda cada ponto brevemente:

1. Foram os brancos que foram escravizados? Não né? Então piada com branco não tem a mesma carga semântica.

2. Homens morrem todos os dias nas mãos das suas companheiras? Esposas, namoradas, ex? Não né? Então piada com homem não tem a mesma carga de violência.

3. Héteros são expulsos de suas próprias casas? Ou apanham na rua por andarem de mãos dadas com seus companheiros? Não né? Então piada com hétero não faz o menor sentido de ofensa.

4. Nordestino reclama de sulista que vem morar pra cá "pra roubar os empregos", ou "sujar a cidade", ou ainda que elege o PT? Não né? Então piada com sulista não tem a mesma carga semântica, até porque os estados mais desenvolvidos do Brasil estão lá.

5. Cristão é perseguido no Brasil por pessoas de outras religiões, que invadem seus templos para quebrar as coisas l…

It não é meu tipo de filme

Desde que se falou nesse filme, eu não fiquei muito interessada porque já sabia que não era meu estilo. Mas com tantas críticas positivas, resolvi assistir.


Como eu já esperava, não é um filme que dá tanto medo nem muitos sustos. Ele cria momentos de tensão e suspense, mas nada muito pesado, a ver meu.

O que ele incomoda mesmo é com o horror, o sangue, a morte, e outras cenas que são perturbadoras de se ver. Isso sim ele acerta muito que bem!  São cenas que lembram pesadelos, sabe? Porque são medos particulares dos personagens, pois é assim que a coisa se alimenta: do medo das pessoas. Então ela se torna o seu maior medo.

Mas como eu já disse um milhão de vezes, eu gosto de filmes com outro tipo de sobrenatural, algo mais sombrio, fantasmagórico, e até demoníaco. Esse é o tipo de filme que me dá medo demais.

No geral, It parece um filme da Sessão da Tarde que tem um grupo de crianças lutando com a criatura maligna. Apenas com o detalhe de cenas de horror puro. Horror, não terror.

Edit…
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...